Logon

Secretária da Educação lança projeto Boa Visão

Enviado em: 20/05/2014 16:16

​Secretária Vanda Dasdores Siqueira Batista Participou do lançamento

 

A secretária estadual da Educação, Vanda Dasdores Siqueira Batista, lançou, nesta terça-feira (20/5) o Projeto Boa Visão. A iniciativa oferece atendimento oftalmológico aos estudantes de escolas da rede pública estadual de Goiânia. O objetivo é atender os cerca de 44 mil alunos de 130 escolas estaduais da Capital.

A solenidade de lançamento foi realizada na primeira escola da capital a receber o projeto, o Colégio Estadual Professora Lousinha Carvalho, no setor Criméia Oeste. Somente nesta unidade, mais de 700 alunos já começaram a ser atendidos.

Além da secretária da Educação, Vanda Dasdores Siqueira, participaram do lançamento o secretário estadual da Saúde, Halim Girade, que representou o governador Marconi Perillo; a presidente da Fundação Jaime Câmara, Raquel Teixeira; o diretor da Celg, Eli Chediak, o subsecretário metropolitano da Educação, Marcelo Ferreira, o médico oftalmologista Marcos Ávila, a diretora do colégio,  Neuva Pereira, bem como professores, gestores escolares, coordenadores e técnicos do projeto Boa Visão.

Segundo a secretária Vanda Dasdores Siqueira, este projeto terá impacto positivo no rendimento escolar.  "Vai contribuir muito com a melhoria do desempenho dos alunos em sala de aula", afirmou.  De acordo com a secretária, que é professora da rede, as crianças com visão alterada costumam se mostrar desatentas e têm dificuldade de aprender. "Com a saúde visual em dia, os resultados são sempre melhores", concluiu.

Atendimento na escola

O projeto Boa Visão é realizado por meio de parceria entre a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e a Fundação Jaime Câmara. Criado em 1995, a iniciativa tem desempenhado ações de prevenção e tratamento de possíveis deficiências visuais dos estudantes.

Por meio de uma unidade móvel, o projeto leva o atendimento oftalmológico para dentro das escolas. São dois consultórios onde é realizada a triagem de possíveis deficiências visuais. Caso sejam identificados problemas mais graves, os estudantes recebem encaminhamento para realização de exames complementares, tratamentos, cirurgias oculares e acompanhamento.

Também são oferecidas palestras aos pais e professores dos alunos. A meta é orientá-los para que eles consigam identificar sinais de possíveis deficiências visuais.